sábado, janeiro 28, 2023
InícioCelebridadesGabs Fernandes fala sobre carreira e planos para 2023

Gabs Fernandes fala sobre carreira e planos para 2023

12 de novembro de 2022. Gabs Fernandes se apresenta como DJ na loja Malagueta Fashion, no bairro Bom Retiro em São Paulo. Nós recebemos o convite para cobrir o evento e realizar uma entrevista exclusiva com a DJ e Influencer, também ex-participante da versão brasileira do reality show “De Férias com o Ex” que você pode conferir agora.

Gabs Fernandes atualmente segue carreira como DJ e conta com exclusividade detalhes sobre sua vida pessoal, trajetória profissional, relacionamento familiar e planos para 2023.

Antes de mais nada, nós começamos a entrevista questionando quem é a Gabs e como ela foi parar na música, com muita simpatia e entusiasmo ela conta:

“Eu sempre gostei de música, sempre amei música, mas meu sonho na verdade sempre foi ser atriz. Eu fiz curso de teatro e tudo mais. E eu tive a oportunidade de participar do ‘De Férias com Ex’. Depois dessa participação eu entrei no meio do Instagram e comecei a trabalhar como Digital Influencer”

Mesmo com as oportunidades que surgiram depois do reality, a influencer conta que sentia que faltava mais alguma coisa, e ser apenas uma influenciadora parecia meio vago.

“Eu sentia que precisava fazer mais alguma coisa. Eu ganhava meu dinheiro com isso, mas sabe quando você sente falta de fazer algo?

O teatro eu desisti depois de um tempo, porque percebi que era um mundo meio complicado, até conseguir alguma coisa, é bem difícil.  Então eu fiz um curso de DJ durante o período de lockdown na pandemia e me apaixonei. Quero isso para a minha vida. Comecei a tocar, fui tocando em lugares pequenos, fui indo e hoje em dia já toco em vários lugares em São Paulo. 

Mas, começou assim, eu sempre gostei de música, então uniu o útil ao agradável, e balada também”, conta dando risadas.

Ainda falando sobre meio artístico e musical, ela conta um pouco da visão que tem das mulheres e a representatividade no mercado de DJs.

“Eu já passei por situação invasiva, sabe? Ainda mais porque a noite eu toco um pouco de funk, um pouco das músicas atuais, então, querendo ou não, existe um preconceito ainda de certas pessoas, gente folgada, homens principalmente. Achar que pode ter segundas ou terceiras intenções só porque a gente está lá, ou por causa de uma roupa mais decotada. Querendo ou não existem olhares preconceituosos e maliciosos.

Eu vejo muita gente não levando a sério meu trabalho, principalmente mulheres DJs. Outras amigas minhas que eu conheço são desvalorizadas por serem mulheres, ganham menos por acharem que elas não sabem tocar. 

Já vi várias coisas assim. Do aparelho da pessoa não estar funcionando, estar com problema e o cara virar e falar, ‘mas você não sabe tocar’. E você consegue entender que é porque você é mulher, porque se você fosse um homem e tocasse há muito tempo, não teria mesmo tratamento. Existe muito preconceito, não sabia que o mundo de DJ era assim para as mulheres.

É muito comum e isso é complicado, mesmo eu indo com meu namorado às vezes para os shows, tem uns caras que não respeitam mesmo assim”.

Como você conseguiu ganhar seu espaço neste meio?

“Primeiro você tem que se impor, eu sempre falo o que eu penso e eu trato as pessoas de igual para igual. Eu estudei muito para fazer o que eu faço também, então isso te dá uma segurança se alguém for reivindicar ou falar alguma coisa que você está fazendo de errado, eu tenho argumentos para falar que eu estou fazendo certo.

Em questão de gente interferindo, algumas pessoas você não tem que ligar, infelizmente será assim, algumas pessoas vão olhar, vão julgar e você tem que deixar levar.

Em questão do espaço, principalmente em São Paulo, o que eu faço de diferente de outras DJs para eu conquistar mais rápido… eu comecei a trabalhar como DJ mesmo esse ano e foi tudo muito rápido.  Eu interajo muito com o público feminino no microfone, toco muita música do TikTok, música atual, então, querendo ou não isso traz público, até o feminino mesmo, interajo muito com elas, chamo para subir no palco.

Vejo que falta um pouco, principalmente em São Paulo, de mulheres DJs que interajam com o público, que usem mais o microfone, que chamem dançarinos, então é isso que eu acho que tenho de diferencial das outras pessoas, principalmente aqui em São Paulo, porque vejo isso muito mais no Rio de Janeiro. Eu morei lá por dois anos e presenciei muito essa interação, aqui em São Paulo não via muito disso, então comecei a trazer um pouco para cá isso e está dando super certo”.

Você sente que agora tem acolhimento nesse meio artístico?

“Eu sofri um pouco de preconceito no começo, agora que eu já fiz meu nome, já consegui mostrar meu trabalho, foi mais fácil. No começo era só ‘ah, é uma ex de De Férias com ex que vai virar DJ, como todo mundo que sai de reality vai virar DJ’. Mas eu consegui mostrar com meu profissionalismo tocando bem e estudando muito para isso. Fiz um ano de curso, vou fazer um outro curso agora, quero aprender produção também para poder me jogar nessa área cantando e fazendo produção de música.

Acho que profissionalismo a gente consegue mostrar né, porque preconceito, infelizmente vai ter.

Hoje em dia eu vou com meu namorado, ele é meu assessor, trabalha comigo nessa parte de assessoria e as vezes eu levo um roadie. Até é bom a gente ter presença masculina do nosso lado. Infelizmente, tem que ter presença masculina do nosso lado, porque se a gente não tiver, é uma coisa muito invasiva, já passei por várias situações. Por eu ir com uma roupa mais curta em palco ou gente tentando encostar em mim, sendo folgada, é bem complicado, vai ser sempre assim, infelizmente. A gente tem que tentar evitar e usar a nossa voz, eu acho que é o mais importante nesse meio e isso eu tenho no meu microfone, lá eu me imponho, dou voz ativa para as meninas, eu falo que os caras têm que respeitar as minas, para deixar elas em paz, é isso, acho que é essa a forma que eu lido”.

Leia também: 22 Séries de 2022

Mudando um pouco de assunto, Gabs explica como foi sua experiência dentro do reality “De Férias com Ex”, como surgiu o convite e comenta sobre as oportunidades profissionais que surgiram depois disso.

“Eu recebi o convite através do Instagram. Já tinha feito algumas coisas na TV, já tinha gravado comercial e participei de um programa do SBT, não sei se foi por causa disso ou não, mas, existe uma pessoa encarregada que sempre escolhe e vai monitorando o Instagram, que me mandou uma mensagem, um questionário para eu preencher, aí preenchi este questionário, vim fazer um teste aqui em São Paulo, passei no teste e depois disso eles me chamaram para participar do programa.

É uma experiência muito louca participar de um reality. Eu saí da água, entrei como ex e ainda entrou um ex meu, eu tinha dois ex dentro da casa, então é treta, barraco e tudo o  que  tem direito, é muita doideira (risos). Mas é uma oportunidade única né, muda muito a vida da pessoa.

Eu não trabalhava com Instagram, postava algumas coisas, mas não era nenhuma das minhas fontes de renda, depois que todo mundo começa a te conhecer quando você sai do programa, no momento em que estava em alta foi uma loucura, mas uma experiência muito boa.

Me abriu portas totalmente na vida profissional. Em questão da carreira de DJ, ser ex de “De Férias com Ex”, junta o útil com o agradável, porque as pessoas, antes de conhecer meu trabalho, me conhecem por ser participante do “De Férias com Ex”, depois conhecem meu trabalho, gostam e aí continuam me contratando por ser DJ e tocar bem. Mas, no começo isso abriu portas para tudo né. Querendo ou não você está na TV, na TV é bom demais”.

Ao ser perguntada se participaria de outro reality show, ela conta que tem interesse em outros nomes do segmento.

“Não do ‘De Férias com Ex’ de novo, acho que já fiz o que tinha que fazer lá, mas uma Fazenda e/ou um Big Brother, eu com certeza participaria”.

Sobre os próximos passos Gabs comenta que tem o desejo de seguir carreira solo como cantora e produtora musical, além de estar preparando músicas autorais para lançar no próximo ano.

“Estou gravando músicas que pretendo lançar nas plataformas de streaming, eu quero seguir uma pegada meio que Bárbara Labres e Pedro Sampaio, eu vou ser DJ e também artista, me lançar no mercado como cantora e produtora. Eu já escrevo há um tempo, só que nunca tive essa coragem ‘ai, será que eu canto? ’, ‘será que eu vou para esse meio também?’. Mas agora que já sou DJ há tempo considerável eu já não quero ser apenas isso, quero lançar minhas músicas e unir essas duas coisas mais para frente”.

Você tem algum produtor (a) dos sonhos com quem gostaria de trabalhar nas suas músicas?

Anitta (disse com espontaneidade). Sou muito fã da Anitta. Anitta maravilhosa, já fui na casa dela duas vezes, mas ela não me conhece assim. Meu sonho, pelo amor de Deus. E ela produz também, é uma empresária. Eu gostaria de falar para ela: ‘Anitta, então, eu sou sua cara’ (risos). Acho ela uma artista muito foda, não só como artista, mas acho ela uma empresária muito boa. Ela veio lá de baixo, toda a história dela, preconceito porque ela só rebola a bunda, e eu sou muito fã dela. Uma grande vontade de fazer música com ela”.

E como DJ, tem algum festival dos sonhos?

“Festival, eu tenho muita vontade de fazer Rock in Rio, eu toco funk, músicas do TikTok, mas eu amo rock, e hoje em dia, lá no Rock in Rio, não é só rock né, eles tocam de tudo, então, seria um grande sonho, abrir um festival assim. Já abri um show da Ludmilla, então já estou quase lá (disse brincando). Mas, tocar no Rock in Rio ou até mesmo Lollapalloza, que é um festival bem grande aqui no Brasil, seria demais”.

Sobre os planos para suas músicas autorais e álbum musical, ela conta o que gostaria de incluir em questão gêneros e principais influências:

“O que eu vou cantar agora vai ser funk, mas um funk mais comercial, bem pegada Anitta, Pedro Sampaio, não serão aqueles funks tipo ‘baile funk’, é mais comercial, é o que está viralizando agora, acho que é a melhor aposta para fazer, todo mundo gosta, até a minha filha escuta essas músicas no TikTok, então pretendo focar nesse gênero. Já tenho uma música quase pronta”.

Aproveitando a deixa, aproveitamos para perguntar sobre a rotina com a família e como a DJ equilibra a carreira e o tempo com a filha pequena.

“É muito difícil (equilibrar), pesa bastante, porque eu tenho guarda compartilhada com o pai dela, então ela fica um tempo com o pai e um tempo comigo, mas é bem complicado e entra até a parte que você sempre vai ser julgada por ser uma mãe que trabalha fora, eu sustento a minha filha e tudo mais sozinha e é difícil porque eu fico muitos dias longe dela, mas é um bem maior, ela sabe que tudo que faço é por ela, mas julgamento sempre acontece, principalmente em relação a isso (trabalhar fora). Eu já recebi muitos comentários de gente mais velha, mas é ela (filha) que tem que saber, as coisas que dou para ela são conquistadas com meu trabalho. No dia a dia a gente vai se arranjando, tem uma pessoa que fica com ela quando estou em algum show, enquanto trabalho”.

Sobre o amor pela música, Gabs conta que a filha adora fazer coreografias do TikTok, adora dançar e já está envolvida no mundo da moda.

“Ela dança (falou com grande alegria). Ela tem Instagram, é agenciada, está em uma agência de modelos infantil, ela adora isso aí. Ela é minha cara, parece eu quando era criança (risos) ”.

Você acha que ela vai acabar seguindo os seus passos?

“Acho que é muito provável. O pai dela é músico e eu também trabalho na área, então a arte já está no sangue. A bicha é bonita, não é porque eu sou a mãe, mas é bonita. Ela não sabe o que quer ser ainda, mas ela adora gravar vídeo, cantar e eu posto várias coisas para incentivá-la”.

Sobre 2023, conta pra gente quais são as suas expectativas e planos?

“Eu espero que o governo invista muito na cultura de agora em diante, que é o mais importante para a gente que, querendo ou não, estou começando a minha carreira agora, então, a gente precisa muito de investimento. Eu trabalho por conta própria, sou a minha própria empresa, então a gente precisa desse respaldo, tem que ter um apoio. Estou confiante que sim (as coisas vão melhorar), espero que sim, espero o melhor. 

Para 2023 um dos meus planos agora é fazer música, vou transferir um pouco do meu tempo para focar nisso e não ser apenas DJ, vou começar a inserir também a minha música na cena, colocar mais de mim nos meus sets, fazer umas coisas mais performáticas. Não quero me apresentar como DJ só em balada/boates, em festas dos outros, quero fazer o show da Gabs mesmo, sair em turnê. Sempre foi a minha grande vontade, fazer meu próprio show, então em 2023 eu quero focar nisso, quero fazer isso. Tocar no TikTok e viralizar”, disse com alegria.

E para finalizar em grande estilo essa entrevista, a Gabs Fernandes tem uma mensagem para vocês:

“Para 2023 é para vocês guardarem o nome DJ Gabs, porque vem muita coisa boa e eu vou ficar muito mais conhecida, não só como DJ, mas também como cantora, além de ser ex de ‘De Férias com Ex’, porque isso aí já passou (risos), chega, agora vocês vão conhecer realmente a Gabriele e eu vou poder colocar nas minhas letras um pouco do que eu sinto, do que eu passei e muito mais. Vai ser uma experiência nova para mim, me aguardem”.

Gabs Fernandes (Créditos: Dany Poynter)
Gabs Fernandes (Créditos: Dany Poynter)

Siga Gabs Fernandes no Instagram: https://www.instagram.com/gabssfernandes

Esta matéria foi produzida e escrita por Eliana Ferreira e Daniela Ribeiro com a autorização da própria Gabs Fernandes para o uso de imagem e citações. Agradecimentos especiais a Fernando Yoon, Malagueta Fashion e Café Malagueta.

 

Esta matéria foi originalmente publicada no site Revista Dnews (acesse aqui) e sua replicação foi devidamente autorizada por todas as partes envolvidas.

Deixe uma resposta

- Advertisment -

Most Popular

Recent Comments

Valéria on Funk consciente