Religiões de matrizes africana patrimônio cultural e imaterial

1
308
Religiões de matrizes africana patrimônio cultural e imaterial

Religiões de matrizes africana como patrimônio cultural e imaterial do carioca

Projeto de lei é do vereador Marcio Ribeiro, do AVANTE

O vereador Marcio Ribeiro, (AVANTE), deu entrada no último dia 20 de maio na Câmara Municipal, no Projeto de Lei 332/2021, que pede que seja declarada como patrimônio cultural e de natureza imaterial do povo carioca as religiões de matriz e de influência africana, como Umbanda, Candomblé e Ifá. A iniciativa do parlamentar aconteceu na mesma semana em que a Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) aprovou o Projeto de Lei 1772/ 2019, que dedica o mês Abril Verde a ações de combate, prevenção e conscientização contra a intolerância religiosa no estado. 

Religiões de matrizes africana patrimônio cultural e imaterial

Um levantamento do Instituto de Segurança Pública do Rio (ISP-RJ) mostrou que o estado do Rio de Janeiro contabilizou 1.355 crimes em 2020 que podem estar relacionados à intolerância religiosa. Ou seja, foram mais de 3 casos em todos os dias do ano. Com a iniciativa, o vereador Marcio Ribeiro espera estimular a conscientização, o respeito e a tolerância religiosa:

Religiões de matrizes africana patrimônio cultural e imaterial

“O combate à intolerância religiosa será ainda maior se tivermos o envolvimento e a mobilização da sociedade civil. Esse é um dos caminhos para que a gente possa alcançar o respeito para todas as religiões”. Para o parlamentar, uma cidade tão plural e diversificada como o Rio de Janeiro, os incontáveis exemplos de violência religiosa são um absurdo.

­­Engajamento contra a intolerância religiosa é uma das bandeiras do parlamentar

O vereador Márcio Ribeiro tem se dedicado à causas ligadas a intolerância religiosa sendo, inclusive, uma das suas bandeiras ainda na campanha para vereador. Desde o início do seu mandato, o parlamentar já elaborou uma indicação legislativa na Câmara Municipal do RJ, pedindo a Secretaria de Saúde e ao prefeito Eduardo Paes, que os sacerdotes de todos os credos religiosos sejam incluídos nos grupos prioritários de vacinação contra a covid-19. Se a indicação for aprovada, a cidade do Rio de Janeiro será a pioneira no Estado com essa iniciativa. O parlamentar também solicitou à presidência da casa a criação da Comissão Permanente de Combate à Intolerância Religiosa e solicitou o desarquivamento do Projeto de Lei 1534/2019, de autoria do vereador Átila Nunes, que instituiu o Conselho Municipal de Defesa e Promoção da Liberdade Religiosa, o COMPLIR/RIO. 

Foto: Divulgacao

Fonte: Chamusca Comunicacao

Leia tambem: Farley Mattos usa redes para incentivar as pessoas

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta