NFT ART Exhibition na Miami Temple House

1
546
NFT ART Exhibition na Miami Temple House

A primeira NFT ART Exhibition na Miami Temple House. Dessa forma, esta primeira apresentação do NFT ART EXHIBITION na  Temple House em Miami, Florida ocorreu no último dia 2 de junho de 2021 onde vários artistas exibiram lado a lado as suas  obras-primas tanto físicas como digitais.

Passaram por lá grandes artistas e personalidades do mundo inteiro, inclusive a Rainha do Congo, detentora do título de ”Diambi Mukalenga Mukaji Wa Nkashama” (Rainha do Ordem do Leopardo).
Localizado no coração de South Beach Miami, The Temple House combina Art Déco com um interior tecnologicamente avançado. Igualmente, uma imersão na arte descentralizada trazida por alguns dos nomes mais inovadores do jogo!
NFT ART Exhibition na Miami Temple House
Fotógrafo Alexey Olivenko

Sobre o NFT BAZL 

O NFT BAZL hospedou a primeira galeria física NFT do mundo, exibindo arte física e digital,  usando o blockchain para preencher a lacuna entre os mundos desta arte física e digital.

Assim, dando nova vida a um mercado antiquado, os artistas exibiram obras-primas físicas e digitais lado a lado, dando as boas-vindas aos colecionadores em uma exposição onde os espectadores podiam apreciar as obras de arte em uma variedade exorbitante e com a possibilidade em dar lances apenas digitalizando um código QR.

Através do aplicativo Elitium torna a compra de arte perfeita, ou seja, caminhando até a obra de arte desejado, é possível dar o melhor lance e consequente a plataforma cuida do restante. Assim, é possível navegar por um mercado exclusivo e com curadoria, descobrindo obras originais ecléticas e desfrutando de uma experiência de compra perfeita.

Sobre a Rainha do Congo

NFT ART Exhibition na Miami Temple House
Fotógrafo Alexey Olivenko

Rainha Diambi Kabatusuila Mukalenga Mukaji de Nkashama – Rainha da Ordem do Leopardo – da República Democrática do Congo na África Central. O Congo – da etnia Bantu – foram os primeiros africanos a entrar no Brasil no período da colonização. Assim, tem importância relevante em nossa identidade cultural pois contribuíram na formação da nossa dança (samba), culinária, linguagem, religião e, também, das práticas medicinais.

Sua missão é valorizar os descendentes africanos, as tradições africanas, promovendo encontros interculturais.

Fotos: Divulgação /  Fotógrafo Alexey Olivenko
Fonte: Divulgação
Edição: Redação Na Mídia
Jornalistas Responsáveis: Denny Silva e Uiara Zagolin

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta