Brasileiro foi vítima de homofobia em restaurante da Geórgia

Em um vídeo que já atingiu milhares de visualizações nas redes sociais, um jovem brasileiro..

Em um vídeo que já atingiu milhares de visualizações nas redes sociais, um jovem brasileiro que trabalha como garçom relata ter sido vítima de homofobia em um restaurante no estado da Geórgia. Natural do Rio Grande do Norte, Fernandes Ripina, 24 anos, chorou a contar o que aconteceu com ele. A publicação foi feita na noite de sábado, dia 21, e centenas de pessoas se indignaram com o ocorrido.De acordo com Fernandes, a homofobia partiu de um dos clientes do restaurante que ele trabalha, onde a clientela é formada por ricos. “Uma família que estava a jantar me acusou de colocar um guardanapo no colo de um rapaz e reclamaram para o gerente”, fala ressaltando que também pediram para que ele não atendesse mais à mesa.Ainda segundo o desabafo, ele afirma que percebeu depois que foi alvo de uma acusação homofóbica motivada pelo seu jeito de ser. “Depois de cinco segundos eu entendi o que aconteceu. A forma de eu colocar o pão, por certo é muito gay, e eles não querem que eu vá à mesa. Pessoas que não tem dinheiro, às vezes não tem escrúpulos e não entendem o que é ser gay”.

Fernandes, que nasceu em Mossoró, disse que que recebeu o apoio de colegas de trabalho. “Todos demonstraram um grande amor para comigo, me abraçaram e falaram que não foi por causa do lenço. É óbvio que é mentira. Eu não colocaria o lenço na perna de uma pessoa”, disse aos prantos. “Ser gay não é problema”, continuou.

Após o desabafo, ele enxugou as lágrimas para seguir em frente no sonho americano. “Hoje eu estou chorando, mas amanhã vou sorrir. Porque eu sou uma bicha afeminada com o ‘cão nos côro’. E se eu estou nessa América é para vencer. Um dia eu mostrarei e quem me conhece sabe, que eu serei uma bicha arretada, nordestina, que leva o sangue nordestino na veia. Que leva desaforo para casa, eu engulo o choro, mas amanhã eu dou a volta por cima. Sem humilhar ninguém. Calado, com o choro engolido, mas eu dou a volta por cima sem precisar humilhar ninguém, sem precisar passar por cima de ninguém com minha honestidade, com minha sinceridade que eu aprendi durante a vida”.

Vindo de uma família humilde, Fernandes chegou aos Estados Unidos há três anos e meio com o objetivo de oferecer uma vida melhor para sua mãe que deixou no Brasil. “Vou realizar o sonho da minha mãe. Ela nunca teve um plano de saúde e agora tem. Hoje pode fazer uma feira e comprar de tudo que ela quer. Eu engulo o choro para minha mãe fazer uma ceia de Natal que ela nunca teve na vida e ela vai fazer esse ano. Eu engulo o choro para ter tudo o que eu sonhei e o Brasil nunca me deu oportunidade. Eu engulo o choro, mas os meus objetivos são muito maior e ninguém nessa terra vai destruir”, finalizou.

fonte Brazilian Times