Rum Cavendish é premiado em Bruxelas

O rum Cavendish participou pela primeira vez de uma premiação e já conquistou medalha de prata

Recentemente foi divulgado o resultado da 24ª edição da Seleção de Bebidas Espirituosas pelo Concurso Mundial de Bruxelas. Famosa por ser uma das principais competições de bebidas em todo o mundo, esse ano o evento teve mais de 2.030 inscrições, representando 60 países. Entre os dias 20 e 24 de junho, 120 especialistas representando 34 nacionalidades participaram de degustações e elegeram os melhores destilados do mundo, através de três tipos de medalha: grande medalha de ouro, medalha de ouro e medalha de prata.

Esse ano o evento aconteceu em Guadalupe, território ultramarino francês. França (incluindo seus territórios ultramarinos), China e Brasil são os três principais países com o maior número de medalhas. Como porcentagem do número total de entradas, Brasil e México ocupam os dois primeiros lugares, seguidos pela Itália. O grande destaque dessa edição foi o Rum, que foi bastante aclamado pelo júri, representando 39% do total de produtos premiados no evento.

“O rum está vivendo uma fase bastante positiva no Brasil e no mundo, pois é uma bebida versátil e que pode ser utilizada na produção de drinks rápidos ou mais elaborados”, afirma Joseph Van Sebroeck, criador do Rum Cavendish. O rum Cavendish participou pela primeira vez da premiação e já conquistou medalha de prata. A bebida foi desenvolvida em 2021, e é um produto 100% nacional, feito com notas aromáticas de banana, cana de açúcar e especiarias.

Rum Cavendish é premiado em Bruxelas

Além do sabor, Sebroeck decidiu fazer uma homenagem ao litoral norte de São Paulo. Cavendish na verdade é o sobrenome do pirata inglês Thomas, que fez história quando usou essa região como base por cinco anos. Essa história era contada com frequência pelo pai do empreendedor quando ele era criança, então foi uma forma que Sebroeck encontrou de homenagear uma região importante e ao mesmo tempo manter o legado do próprio pai, Etienne Van Sebroeck, que começou a produzir cachaça em 1958 em uma propriedade da família localizada na região do litoral norte.

Rum Cavendish é premiado em Bruxelas

 

“É uma emoção muito grande receber esse prêmio em um evento tão importante como esse, pois eu lancei o rum no ano passado e essa foi a primeira vez que ele entrou em um concurso, então ser premiado logo na estreia é algo inenarrável, pois o meu objetivo foi mostrar como o Brasil tem capacidade de produzir bebidas incríveis”, ressalta Sebroeck.

O início da história do rum começa no ano de 1433, quando a cana-de-açúcar começou a ser cultivada na região de Caraíbas, no período de Cristóvão Colombo. A bebida também sempre teve uma ligação muito forte com a história dos piratas, já que muitas pessoas afirmam que antes das batalhas, os saqueadores do mar bebiam rum como uma forma de se sentirem mais corajosos.

Sobre o Cavendish

O Cavendish Rum foi desenvolvido por Joseph Van Sebroeck, de família proprietária de alambique na região de Ilhabela, e tem notas aromáticas de banana, cana de açúcar e especiarias.  A bebida é uma homenagem ao litoral de São Paulo, já que o nome é uma referência ao pirata inglês Thomas Cavendish, que fez história quando usou essa região como base por cinco anos. O rótulo é o segundo produto produzido pela Destilaria Dona Filó.

Deixe uma resposta